ARBORIZAÇÃO URBANA EM CAMPINAS

um Levantamento abrangente

Realizados entre os anos de 2007 e 2012, os trabalhos conduzidos inicialmente por José Hamilton de Aguirre Junior – Engº Florestal, Mestre em Agronomia/Fitotecnia – Arborização Urbana e posteriormente,  atualizados e complementados por Demóstenes Ferreira da Silva Filho - Engº Agrônomo, Professor Doutor da Universidade de São Paulo e sua equipe, apresentaram, respectivamente, o primeiro  levantamento e detalhado estudo do sistema

arbóreo do bairro Cambuí em Campinas e a sua atualização no ano de 2012.


Os trabalhos culminaram na dissertação de mestrado defendida em 2008, na Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”,intitulada: Arborização viária como patrimônio municipal de Campinas/SP:histórico,  situação atual e potencialidades no Bairro Cambuí e Relatório Cambuí. (vide anexos correspondentes em PDF).

levantamento arborização em Campinas -SP

Além de importante senso que mapeou todas as árvores do bairro, foi realizado diagnóstico da situação da arborização do bairro, bem como sugestão de propostas de intervenção e de planejamento visando a preservação, manejo e a saúde das espécies arbóreas, bem como o acompanhamento de modificações naturais ou provocadas como queda, morte, podas, replantios ou supressões.

 

Na totalidade, o senso apurou 2.087 plantas em calçada (entre árvores, arbustos e palmeiras), sendo este número em torno de 1/3 do recomendado pela Lei municipal nº 11.571 de 17 de junho de 2003. Observou-se o padrão de intervenções executados pelas empresas concessionárias de serviços públicos, cujas redes atuam em contato direto ou indireto ao tema (empresas de energia elétrica, telefonia e gás), apresentando conclusões importantes sobre os efeitos das ações dessas empresas sobre o patrimônio ambiental coletivo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como conclusão, o relatório do Prof. Demóstenes demonstra técnico-cientificamente, através de estudos, o chamado Valor Total das Árvores, que traduz em moeda corrente o valor do patrimônio verde da região. Essa referência é demonstrada em termos de economia e preservação de aparelhos públicos (pavimentos e equipamentos) e redução no consumo de energia.

 

Resumindo, equivale a quantificar quanto essas árvores representam em economia real no decorrer de sua vida útil, em anos, fato que ainda é pouco ou nada considerado, por não ser objetivamente visível e ser de longo prazo. Esta é uma questão de gestão municipal, mas evidentemente significativa em termos de economia e eficiência do uso do erário. Os resultados apresentados apontam para um montante de Treze milhões de Reais, só nesta região analisada.

levantamento arborização em Campinas -SP
levantamento arborização em Campinas - SP

Registro fotográfico digital com baliza de 2 metros em pé

Registro fotográfico digital com baliza de 2 metros atravessada na calçada

levantamento arborização em Campinas -SP

Dentre outros destaques e considerações, encontrou-se que, a soma da área das copas das plantas de calçada, obtida pelo levantamento de 2007 de José Hamilton, significa, em área, 13ha (130.000m2), mais do que a maior área verde Central Urbana de Campinas, o Bosque dos Jequitibás, com cerca de 10ha.

 

Esse é um patrimônio de valor imensurável ao campineiro e ao morador do bairro Cambuí, pela referência histórica e de identidade do local, serviços ambientais prestados pela arborização e com reflexos positivos na qualidade de vida. Desta maneira é imprescindível, o olhar correto da gestão pública ao sistema de áreas verdes, notadamente as árvores viárias, um investimento de retorno rápido e eficiente.